Relação entre ISO, abertura e velocidade de obturação

Compartilhar

Obter a exposição adequada é parte do objetivo principal de qualquer fotógrafo. Por isso, não deixe de conferir este artigo!

Mas antes, recomenda-se a leitura sobre os 3 ajustes principais da fotografia: abertura, velocidade e ISO. A partir daqui, você entenderá exatamente como combiná-los, pois cada um afeta diretamente a exposição da imagem e controlá-los simultaneamente pode ser uma tarefa muito confusa.

Relembrando um conceito importante: O que é EV?

A sigla EV significa “Exposure Value”, ou “Valor de Exposição” em português. Cada EV é representado na escala do fotômetro pelos números de -2 a +2, sendo 0 (zero) a exposição ideal para a maioria das fotos (de um modo geral, nem sempre!). Cada ponto intermediário entre 2 números representa 1/3 EV.

fotometro

Aumentarmos 1 EV significa que estamos captando o dobro de luz que o EV anterior, e da mesma forma, 1 EV a menos significa a metade da luz que o EV seguinte.

Exemplos práticos:

– Ao mantermos abertura e ISO constantes e alterarmos o valor da velocidade de 1/30s pra 1/60s, estaremos diminuindo o tempo que o obturador fica aberto pela metade. Desta forma, metade da luz será captada e teremos 1EV a menos (se a escala estava em zero, agora estará em -1).
– Mantendo todos os ajustes fixos e alterando somente o ISO de 100 para 200, estaremos captando o dobro de luz e teremos 1EV a mais.
– Alterando somente a abertura de f/4 para f/2.8, estaremos captando o dobro de luz e 1EV a mais.

A seguir veremos a co-relação existente, como uma alteração em um fator provoca uma alteração compensatória necessária em outro (se quisermos manter a exposição inalterada). Ou seja, você nunca pode isolar e dar atenção a somente um dos fatores, sempre deve alterar um pensando nos outros.

relacao-exposicao

Por exemplo (considerando que a exposição inicial seja adequada) quando diminuímos o tempo de exposição em -2EV, menos luz será captada pelo sensor e a imagem fica sub-exposta. Devemos então compensar esta perda de luz aumentando a abertura em +2EV ou aumentando o valor do ISO em +2EV. Alternativamente,  podemos aumentar +1EV em cada um, de forma que a exposição final fique inalterada.

O mesmo raciocínio cabe no caso de alterações em terços de EV. Caso eu tivéssemos diminuído o tempo de exposição em -1EV, poderíamos compensar em +2/3EV na abertura e +1/3EV no ISO, ou alternativamente, +1/3EV na abertura e +2/3 no ISO.

Lembre-se: é uma equação matemática muito simples!

Mas lembre-se também que todas essas alterações devem ser feitas tendo em mente os limites possíveis diante dos resultados esperados:

  • “Desejo muito desfoque?”
  • “Qual o nível tolerável de ruído?”
  • “Até que ponto posso alterar a velocidade de forma que eu não estrague a foto por trepidação da câmera (em fotos tiradas na mão) ou por não congelar o movimento?”

Pode parecer complicado à primeira vista, mas com prática esses ajustes se tornam tão familiares que você fará tudo de forma bem natural, e sua atenção ficará centrada em não perder belos momentos. Então pratique bastante!

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *