Obturador e tempo de exposição

Compartilhar

O obturador é um dispositivo mecânico formado por um par de lâminas que formam uma “cortina”. Elas se movimentam verticalmente, abrindo o caminho para que a luz proveniente da lente possa passar e se projetar sobre o sensor por um período de tempo previamente ajustado. Quanto maior este tempo, mais luz será captada.

obturador

Este controle de tempo é chamado de “Tempo de exposição” ou “Velocidade de obturação”. Habitualmente, os tempos de exposição variam desde alguns segundos até milésimos de segundos, representados por frações. Os tempos mais usuais são: …4, 2, 1, 1/2, 1/4, 1/8, 1/15, 1/30, 1/60, 1/125, 1/250, 1/500, 1/1000, 1/2000…

Assim como ocorre com os valores de abertura do diafragma e ISO, cada ponto desta escala corresponde ao dobro de luz do ponto consecutivamente menor, e a metade de luz do ponto consecutivamente maior. Por exemplo, 1/30s permite que a metade da luz de 1/15s seja captada, ao mesmo tempo que permite com que o dobro de luz de 1/60s seja captada. Também como no caso da abertura e do ISO, é possível selecionar valores intermediários entre cada ponto, chamados terços de um ponto.

-Velocidades de 1/15 para baixo são consideradas lentas.
-Velocidades entre 1/30 e 1/125 são consideradas médias.
-Velocidades a partir de 1/250 são consideradas altas.

O ajuste da velocidade nos permite controlar alguns efeitos e resultados em consequência.

Vida útil

Assim como um carro precisa de manutenção à medida que é usado, as câmeras também necessitam. O obturador é o componente com maior desgaste físico, possuindo uma vida útil que é contada por número de disparos. Cada modelo de câmera possui sua própria vida útil, sendo em média de 100 mil ou 150 mil cliques.

Quando a câmera alcançar o número de cliques limite informado pelo fabricante, o risco de ter problemas com o obturador é iminente… a qualquer momento pode parar de funcionar. Até quando poderá ainda usar é incerto, podendo durar apenas mais alguns poucos cliques, ou como é comum de se ver, até o triplo ou quádruplo do limite, precisando ser trocado em uma assistência técnica corretiva ou preventivamente. O ideal nesses casos é continuar trabalhando com a máquina até o momento de trocar, tendo uma segunda câmera de reserva.

Para saber quantos cliques sua câmera possui:

– No caso de sua câmera ser Canon, existem diversos programas disponíveis para a contagem. Dentre eles, pode-se utilizar o ShutterCount_v1.0c, que mostra no campo “shutter counter” o número exato ao se conectar a câmera no computador pelo USB e ser ligada.

– No caso de sua câmera ser Nikon ou Pentax, basta acessar o site www.myshuttercount.com e fazer o upload da última foto tirada.

Efeitos de exposição

Conhecendo como o tempo de exposição afeta a qualidade de suas imagens e tendo criatividade para se aproveitar dos efeitos resultantes, é possível evitar que algumas fotos sejam arruinadas por terem saído borradas ou tremidas e conseguir fotografias marcantes.

Vamos começar explicando a partir dos seguinte exemplo: note a diferença entre as duas velocidades escolhidas. Para a primeira, foi usada uma exposição de 1/4000s, tão rápida que foi capaz de congelar as asas do beija-flor. Para a segunda, utilizou-se uma velocidade um pouco mais lenta, de 1/250:

exposicao1

Velocidades mais rápidas tendem a congelar um movimento, enquanto velocidades mais lentas tendem a borrar um movimento. Em fotografia de esportes, por exemplo, o uso de velocidades mais rápidas é quase um fator obrigatório.

Agora vejamos os seguintes exemplos:

exposicao2

Em ambas as fotos, perceba que o movimento (da água e dos carros) borrou, criando um efeito muito interessante. Em fotos como estas, o uso de velocidades mais lentas confere às imagens muito mais beleza. Fotografias deste tipo são chamadas de “longa exposição”, e a imagem do tráfego à direita também pode ser chamada de “light painting”. Fotografias desse tipo sempre devem ser feitas com o uso de tripés.

O light painting é um tipo de fotografia de longa exposição muito interessante. É um tipo de fotografia criativa, muito usada em publicidade e artes.

Como o próprio nome diz, é um tipo de fotografia no qual podemos “pintar com a luz”. Deve ser feito em ambientes escuros ou com iluminação baixa. Usando tempos de exposição que podem variar de 1s até minutos, o fotógrafo usa diferentes fontes de luz (lanternas, lâmpadas, lasers, etc) como se fossem pincéis. Primeiramente fixe a câmera, enquadre e foque, em seguida ajuste ISO, diafragma e o tempo de exposição. Quanto maior for o tempo de exposição, maior a possibilidade de agir sobre a cena. Você pode pintar contornos, escrever palavras, o que você quiser! Use toda a sua criatividade!

exposicao3

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *