Luz e cores

Compartilhar

Analogamente, fotografar é como pintar: a luz representa o pincel com tinta e o sensor de imagem representa a tela de pintura. Da mesma forma que o pintor tem controle sobre o pincel e a tinta, é importante que o fotógrafo controle ou pelo menos conheça a luz da melhor forma possível para saber como lidar com ela nas mais diversas situações.

Nesta página, daremos enfoque sobre a luz e suas cores, deixando para tratar de assuntos mais técnicos ligados à fotografia nas próximas páginas do site, onde veremos, por exemplo, o balanço de brancos. O assunto abordado aqui serve de introdução a outros assuntos.

O espectro eletromagnético

A luz é uma energia eletromagnética, parte de uma série mais ampla de ondas que se propaga em linha reta a uma velocidade de aproximadamente 300mil km/s, e são definidas por seu comprimento de onda e por sua frequência. O que chamamos de luz visível representa uma pequena fração do espectro de ondas eletromagnéticas existentes, compreendendo as ondas com comprimento entre 400nm (violeta) e 700nm (vermelho escuro):

A luz branca é composta por uma mistura de todos os comprimentos de onda entre o vermelho e o violeta, e é por isso que enxergamos as cores nos objetos: algumas superfícies absorvem alguns comprimentos de onda, enquanto refletem outros. A luz resultante desta reflexão e que chega até nossos olhos determina a cor enxergada neles. Dito isso, pode-se afirmar que nada tem cor, apenas a luz!

Pode parecer absurdo, mas dependendo dos comprimentos de onda refletidos por um objeto, ele pode ser enxergado com cores diferentes, dependendo da fonte de luz, podendo até mesmo ficar preto caso a luz incidente não possua os comprimentos de onda que ele reflete.

a)objeto azul: absorve outras cores e reflete apenas azul, ou combinações que resultem azul
b)objeto branco: reflete todas as cores
c)objeto preto: não reflete nenhuma cor, ou nenhuma das cores incidentes

Por meio de um dispositivo de vidro chamado prisma, é possível decompor a luz branca em todas as cores, num processo chamado refração. Este fenômeno ocorre pois cada comprimento de onda (cada cor) altera sua velocidade em proporções diferentes ao passar de meio de propagação a outro e sofre desvios diferentes, seja do ar pro vidro, ou do ar pra água. Importante destacar que a ordem de tais cores sempre será a mesma. É por este mesmo motivo que enxergamos os arco-íris em dias de chuva.

Decomposição da luz branca por um prisma

Outros tipos de ondas, como o infravermelho, são invisíveis a nossos olhos, mas podem ser captadas pelos sensores das câmeras. É por isso que existem câmeras de segurança que filmam no escuro, pois elas utilizam leds de luz infravermelho para iluminar o local.

Cores primárias

As cores primárias não devem ser vistas como uma propriedade da luz, pois são baseadas no olho humano, constituído de determinados receptores de cor. Dividem-se em dois subgrupos: cores aditivas e subtrativas.

Cores aditivas

As cores primárias aditivas são um conjunto de cores que, combinadas, podem resultar em qualquer outra cor, e correspondem exatamente aos receptores presente em nossos olhos: vermelho (Red), verde (Green) e azul (Blue) – RGB.

Vermelho, verde e azul, e suas misturas

Este princípio é utilizado em equipamentos e dispositivos emissores de luz, como monitores, e é empregado inclusive no sensor das câmeras fotográficas. Cada pixel é formado pelas três cores, e a combinação de diferentes luminosidades de cada uma delas (variando de totalmente apagado a totalmente aceso) visto à distância, causa a ilusão de que estão misturadas.

  • A mistura de vermelho e verde resulta em tons de amarelo, laranja ou marrom;
  • A mistura de verde e azul resulta em tons de ciano;
  • A mistura de vermelho e azul resulta em tons de púrpura ou magenta;
  • A mistura de proporções iguais das três cores resulta em tons de cinza ou branco.
RGB empregado em diferentes tipos de telas:
Pixels convencionais de monitores e televisores à esquerda – pixels de algumas telas de celulares à direita.’

Cores subtrativas

As cores subtrativas são um conjunto de cores obtido a partir da mistura, de 2 a 2, das cores aditivas. São elas: ciano (Cyan), magenta (Magenta) e amerelo (Yellow) – CMY.

Origem do CMY, e suas misturas

Este sistema é utilizado principalmente em impressoras e tintas, ou seja, para imagens baseadas em luz refletida.

  • A mistura de amarelo e ciano resulta em tons de verde;
  • A mistura de amarelo e magenta resulta em tons de vermelho;
  • A mistura de magenta e ciano resulta em tons de azul.

Teoricamente, a mistura das três cores resultaria em cinza, ou em preto quando aplicados em densidade suficiente, porém acabam resultando em marrom. Por isto, o preto também é empregado, formando o sistema conhecido como CMYK (K de Key, evitando confusões entre o B de Blue e Black).

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *