Gravação de vídeos

Compartilhar

Nos anos de 2009 e 2010, as primeiras DSLR com suporte a gravação de vídeos foram lançadas por Canon e Nikon. Desde então, observou-se uma melhoria gradual na tecnologia empregada, tanto em especificações (como resolução, quadros por segundo, novos sistemas de autofoco) quanto em recursos disponíveis (como entradas para microfone externo e controles manuais de áudio).

Para trabalhar com vídeos, é imprescindível dominar controles manuais de abertura, tempo de exposição, ISO e focagem. Por este motivo, houve um inesperado e repentino reaquecimento no mercado de lentes manuais antigas, que após décadas de esquecimento, puderam reencontrar seu lugar nas mãos de cinegrafistas em busca de qualidade a baixo custo.

Para você que busca uma nova fonte de renda através dos vídeos, mas não sabe por onde começar, confira a seguir algumas dicas essenciais, algumas técnicas que todo cinegrafista deve conhecer e praticar para não fazer feio.

Não utilize tempos de exposição mais rápidos que 1/60s

Tempos de exposição muito rápidos fazem com que cada frame congele muito bem o movimento e a imagem ganhe nitidez. Porém, para nossos olhos o resultado não é natural, pois é possível notar que os os movimentos estão travados, sem suavidade.

Apesar de câmeras atualmente permitirem filmagens a 60 fps ou mais, ainda é interessante fazer uso da combinação vencedora: 25fps com 1/50s ou 30 fps com 1/60s (note que o denominador da exposição representa o dobro de fps). Num geral, as pessoas estão acostumadas e gostam do efeito cinematográfico encontrado nos filmes, e gosta dele ainda que não saibam explicar o porquê. Essa combinação causa movimentos borrados, e é este resultado que encaramos como o mais natural.

Além disso, determinados tempos de exposição causam um efeito indesejado em alguns tipos de monitores, LEDs e lâmpadas conhecido como “flicker”. Por isso, antes de realmente iniciar as filmagens, teste o resultado para determinar o tempo de exposição ideal.

Configurações constantes

ISO, abertura e tempo de exposição devem ser constantes durante um take completo. Mudanças realizadas durante a gravação em um destes ajustes são extremamente desagradáveis, pois alteram a exposição da imagem de forma repentina, em “pulos”.

Se em uma mesma gravação houver diferença significativa na luz ambiente, vale a pena considerar a filmagem em mais de 1 take. Controles automáticos nunca devem ser usados, pois variam configurações com muita frequência para controlar a exposição de acordo com a cena.

Tipos de lentes aconselháveis

Em geral, o visual cinematográfico envolve a utilização de lentes com grande distância focal e grandes aberturas. Essa combinação possibilita um desfoque acentuado, ao mesmo tempo em que corrige distorções espaciais presentes em distâncias focais menores. Lentes fixas com mais de 50mm ganham destaque nesse assunto.

Um fenômeno que merece grande atenção e que se torna muito aparente e desagradável nas filmagens é conhecido como Respiração do Foco. Lentes com muita Respiração do Foco alteram seu ângulo de visão enquanto o foco é regulado. Pensando nisso, objetivas projetadas especificamente para filmagem e cinema têm respiração quase nula.

Canon CN-E 50mm T1.3 L Cine

Considerando que o tempo de exposição esteja em torno de 1/60s e que o ISO não pode ser menor que 100 (ou 50 em algumas câmeras), o excesso de luminosidade, principalmente em externas à luz do dia, pode impor limites para a abertura do diafragma. Como dito, grandes aberturas são apreciadas, mas nestas situações o cinegrafista se depara com um problema e se vê obrigado a fechar o diafragma.

O filtro ND variável

Os filtros ND são constituídos de elementos óticos escuros que permitem a passagem para a objetiva de apenas uma fração da luz incidente. Filtros ND variáveis possuem um anel para regulagem de intensidade, possibilitando ajustes suaves e contínuos sem que haja os problemas citados de alteração repentina da exposição.

Este acessório é a solução para todos os problemas levantados acima, já que:

  • permite o uso de grandes aberturas mesmo à luz do dia;
  • permite o ajuste da exposição durante a gravação.

Gravação de áudio

A gravação de vídeos utilizando o microfone interno da câmera é uma péssima decisão, pois além da baixa qualidade, uma infinidade de sons se tornam ruídos indesejáveis, tais como motores de foco e estabilizador da lente em funcionamento e aperto de botões.

Se você deseja gravar vídeos de qualidade, não pode se esquecer de equipamentos de áudio dedicados, como microfones e gravadores. Até mesmo o gravador de áudio de seu celular pode ser uma alternativa imediata que garante resultados muito melhores que aquele proporcionado pelo microfone da câmera!

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *