O fator de corte em câmeras digitais

Compartilhar

Nas câmeras digitais, nem todos os sensores possuem o mesmo tamanho. A fabricação de sensores de medida similar à de uma película de filme 35mm é cara, e de um modo geral, atualmente apenas as câmeras mais profissionais contam com essa característica. Sensores dessa medida são chamados de Full Frame, enquanto sensores menores são chamados de APS-C (com fator de corte de 1,5x ou 1,6x, dependendo do fabricante) ou APS-H (com fator de corte de 1,3x, a exemplo de alguns modelos série 1 da Canon).

Mas afinal, o que é o fator de corte?
Bom, esse é um assunto que gera confusão para muitas pessoa, mas veremos que é algo realmente simples.

Primeiramente, toda lente forma imagens circulares. Ao serem projetadas sobre o sensor, apenas uma parte retangular é aproveitada, dando origem às imagens com o formato tal qual as conhecemos. Quanto maior for a área do sensor, maior será a área da imagem capturada.

Devido a esta diferença, uma mesma lente pode se comportar de maneiras diversas em diferentes modelos de câmeras. Em sensores menores, o resultado será um ângulo de visão reduzido se comparado a sensores maiores.

As figuras a seguir ilustram essa situação:

fator-de-corte

 

Existem lentes criadas para uso exclusivo em APS-C. Elas foram desenvolvidas para que o círculo de imagem projetado seja menor, capaz de cobrir apenas a área dos sensores menores. Isso permitiu que estas lentes fossem menores, mais leves e mais baratas.

A partir de uma multiplicação simples, podemos então calcular a equivalência: em um sensor APS-C com 1,6x de fator de corte, uma lente de 100mm resulta em uma imagem com ângulo de visão equivalente a uma lente de 160mm em um sensor FullFrame. E esta equivalência se aplica igualmente às lentes exclusivas para APS-C.

Parece tudo mais simples agora, não é?

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *